Porque é um bom negócio vender seu imóvel

Quem comprou imóvel há 10 anos nos grandes centros urbanos fez um ótimo negócio. Avaliando cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba ou outras capitais, é comum achar casos onde o preço do imóvel quadruplicou.

Com a forte valorização no setor, muita gente se tornou detentora de um patrimônio imobiliário milionário.

Alugar o imóvel não é compensatório para o proprietário

 aluguel não compessa

Embora o metro quadrado esteja mais caro, o aluguel não acompanhou de perto essa subida.

Fazendo uma pesquisa em sites de imobiliárias no Rio de Janeiro, encontramos apartamentos de R$ 600.000 sendo alugados por R$ 2.000 mensais, o que gera ao proprietário uma rentabilidade de 0,33%, sendo que desse valor ainda temos que retirar o imposto de renda (que pode chegar até 27,5%) e a taxa paga a imobiliária responsável por intermediar o aluguel.

Além do pouco ganho, ainda existe a depreciação causada pelo uso e o risco do imóvel ficar desocupado durante alguns meses do ano, deixando de gerar renda e exigindo dinheiro para pagar os custos.

Caso o proprietário vendesse o apartamento em questão e aplicasse o capital na poupança, teria um rendimento líquido de R$ 3.510, com base na rentabilidade de 0,585% registrada em outubro.

Os preços crescem em ritmo menor

ritmo lento

Outro dado interessante para se analisar é o fato de que os preços dos imóveis no ano de 2013 estão crescendo em ritmo menor do que o observado em 2012.

Alguns apontam essa diminuição de crescimento como indício de proximidade do estouro da bolha imobiliária, outros argumentam que não existe bolha e sim uma forte valorização devido às obras que estão sendo feitas por ocasião da Copa de 2014 e, no caso do Rio de Janeiro, das Olimpíadas de 2016.

Se você já está satisfeito com a valorização atingida por seu imóvel, insatisfeito com a renda gerada pelo aluguel ou prefere não se arriscar com uma possível queda nos preços, veja 3 alternativas para vender seu imóvel usado, aumentar sua renda e qualidade de vida.

1. Venda seu imóvel, se mude para um de mesmo padrão e ganhe com isso

mesmo padrão

Voltando ao exemplo da venda do apartamento de R$ 600.000.

Vamos supor que após o pagamento do imposto de renda (15% sobre a diferença entre valor de compra e de venda), comissões de corretor e imobiliária tenham sobrado R$ 550.000.

Aplicando este dinheiro na poupança teríamos um ganho mensal de aproximadamente R$ 3.200. Seu gasto com aluguel seria de R$ 2.000, sobrando ainda R$ 1.200 a mais para fazer o que quiser.

2. More ao lado do seu trabalho

morar perto do trabalho

Quem mora em cidades grandes tem sempre uma reclamação em comum, o trânsito.

Vendendo seu imóvel, você terá flexibilidade para morar onde quiser, podendo se mudar para uma residência próxima do seu local de trabalho. Você vai diminuir o gasto com gasolina e manutenção automotiva, além de ganhar em qualidade de vida e ter mais tempo livre.

Caso o aluguel seja mais caro e a economia com o carro não consiga cobrir a diferença, lembre-se que você ainda tem R$ 1.200 vindos da sua reserva financeira todo mês.

3. Vá para onde seu dinheiro vale mais

boa ideia

No livro “Trabalhe 4 horas por semana”, o autor americano Timothy Ferriss conta como ficou rico criando um negócio virtual. Mas o que me chamou mais atenção na sua história é a maneira como ele usa as diferenças cambiais para maximizar sua riqueza.

Timothy ganhava seu dinheiro em dólares, gastava em pesos, pois vivia em Buenos Aires, e remunerava quem lhe prestava serviço em rúpias, já que todas as atividades de sua empresa eram terceirizadas na Índia.

O exemplo de Ferriss é interessante, mas no nosso caso, não é preciso sair do Brasil para sentir a diferença no custo de vida.

Em uma pesquisa anual feita pela Consultoria Mercier, São Paulo aparece como a 9º cidade mais cara do mundo. Embora o Rio de Janeiro não esteja entre as “10 mais”, é a cidade com o metro quadrado mais caro do país.

Se você é aposentado ou anda pensando em mudar de vida, pegue o dinheiro da venda do seu imóvel e se mude para cidades com custo de vida mais baixo. O gasto com aluguel e lazer será muito menor e sua qualidade de vida pode aumentar muito, longe da agitação das megalópoles.

Caso tenha alguma ideia sobre esse assunto ou qualquer outro assunto do nicho financeiro deixe um comentário.

PS: Nos exemplos usei a poupança como destino do dinheiro da venda do imóvel, por se tratar de uma aplicação conhecida por todos, onde não se paga imposto de renda (para este caso), com possibilidade de se fazerem resgates a qualquer hora e rendimentos quase fixos.

Evidentemente existem investimentos muito melhores, dependendo dos objetivos e prazos que você tenha em mente.

Continue acompanhando o Você MAI$ Rico para saber mais. Cadastre seu email para ser o primeiro a receber nossas novas publicações.

Obrigado!