Como ganhar dinheiro jogando Blackjack (guia definitivo!)

Tempo de leitura: 17 minutos

Se você pensa que para ganhar dinheiro consistentemente jogando blackjack é necessário ser um autista com super memória, um gênio matemático formado no MIT ou ter uma equipe de vigaristas altamente profissionais, você está errado!

Ter as capacidades mencionadas acima te ajudariam muito (muito mesmo!), mas qualquer pessoa que consegue se manter calma, está disposta a correr riscos calculados e sabe somar e subtrair de cabeça é capaz de conseguir bons resultados.

Se você se identificou com as características acima, prepare-se para entrar no maravilhoso mundo do blackjack!

No intuito de deixar este artigo o mais didático possível, vou iniciar falando sobre o funcionamento dos jogos de azar, explicando porque normalmente os cassinos ganham dinheiro e as pessoas perdem.

Em seguida, vou descrever as regras do blackjack e a estratégia básica que você deve seguir para equilibrar suas chances de vitória deixando-as próximas de 50%.

No final, vou te ensinar a contar cartas usando o mesmo método do famoso filme Quebrando a Banca (cereja do bolo!), o que vai alavancar suas probabilidades de sair da mesa de 21 com muito mais dinheiro do que quando entrou.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa:

1# Funcionamento dos Jogos de Azar

Jogos de azar

Acompanhe a cena, você entra num cassino levando seu precioso dinheiro, joga a noite toda de acordo com sua estratégia, se diverte, eventualmente ganha algum dinheiro que volta a apostar, bebe alguns martinís com 2 duas azeitonas, flerta com a mulherada e sai do cassino quebrado ao final da manhã, sem um p@t% no bolso pra contra a história.

Esse é o roteiro básico seguido por quem visitou um cassino sem entender como funcionam os jogos de azar (exceto pelos martinís com 2 azeitonas).

Por que isso acontece?

Porque os cassinos têm a estatística a seu favor.

Para mostrar isso de forma simples vou usar como exemplo o famoso jogo da roleta.

Na roleta clássica temos 37 números que vão de 0 a 36. Os números entre 1 e 36 são divididos entre as cores vermelha e preta, metade de cada cor, e o número 0 é da cor verde (na roleta americana ainda temos o 00, também de cor verde).

Entre as várias opções de apostas disponíveis temos a opção de apostar em qualquer número entre os 37 listados, o que nos daria um prêmio de 36 vezes a quantia apostada, caso tivéssemos sorte.

Nesta parte entra o detalhe da estatística que faz com que os cassinos ganhem dinheiro. Temos 37 opções de escolha e ganhamos 36 vezes nossa aposta caso venhamos a acertar.

Isso significa que se eu apostasse R$ 1 em todos os 37 números, gastando R$ 37 ao todo, no final eu ganharia R$ 36 por ter acertado o número sorteado. Jogando assim ao longo da noite, perderia R$ 1 real a cada giro da roleta.

De maneira análoga, jogando na cor sua chance de vitória é de 48,65%, já que você tem 18 números que te fariam ganhar e 19 que te fariam perder (a outra cor mais o número 0).

A mesma lógica acontece em todos os outros jogos do cassino, inclusive o blackjack. As chances de vitória do jogador são sempre ligeiramente menores do que as da casa.

Embora o “ligeiramente menores” possa parecer pouca coisa, é esta pequena diferença nas probabilidades que garante os lucros astronômicos dos cassinos ao fim de cada noite.

Mas não se preocupe, você vai aprender a equilibrar e até mesmo colocar as chances a seu favor no decorrer deste artigo.

2# Regras do blackjack

blackjack

O blackjack é um dos jogos de cartas mais simples que existem, e por isso um dos mais viciantes. Para saber sobre o funcionamento básico do jogo basta lembrar dos 9 aspectos seguintes:

  1. O jogo é sempre um duelo entre o jogador e a casa, representada pelo croupie. Não importa quantos jogadores estejam na mesa jogando 21, seu objetivo é sempre ganhar da casa.
  2. Os valores de cada carta são os da face (8 vale 8, 10 vale 10, etc), as cartas nobres (Rei, Dama e Valete) valem 10 cada uma e o Ás pode valer 1 ou 11. Não há diferença entre valor dos naipes. Note que das 52 cartas do baralho, 16 valem 10, o que significa que, estatisticamente, a cada 4 cartas viradas mais de uma terá valor 10 (informação importante!).
  3. Você ganha sempre que obtiver um valor mais próximo de 21 do que a casa, sem estourar esse valor (22 pra cima).
  4. Nos cassinos normalmente são usados cerca de 6 a 8 baralhos no jogo, alguns cassinos virtuais usam baralhos “infinitos” (o que não é nada bom para contadores de cartas, você vai saber porque).
  5. As apostas são feitas antes que você receba as cartas.
  6. O jogo começa com cada jogador recebendo duas cartas viradas para cima, a casa recebe duas cartas, uma virada para cima e outra com seu valor virado para baixo. Cada jogador então decide se quer mais cartas ou não, analisando as duas cartas que possui e a carta revelada do croupie.
  7. Ao receber suas cartas você tem a opção de parar, pedir mais cartas até ficar satisfeito ou estourar, dividir as cartas (split) caso as mesmas tenham o mesmo valor ou dobrar a aposta, o que fará com que você receba mais uma carta.
  8. O croupie é um ser sem vontade própria regido pelas regras do cassino, semelhante a uma máquina, programado para parar sempre que a soma da casa chegar a 17 ou mais. Caso a soma seja mais baixa que 17 ele vai continuar pedindo cartas (muito importante!).
  9. Quando o jogador faz 21 pontos usando apenas duas cartas (Ás e mais alguma de valor 10), ocorre o famoso blackjack. O prêmio costumeiro para quem faz blackjack é de 1,5 vezes o valor apostado.
  10. O croupie só vira mais cartas depois que todos os jogadores já pararam, o que claramente favorece a casa (você pode estourar antes mesmo da casa começar a virar sua segunda carta).

Em síntese, essas são as informações básicas sobre o funcionamento do jogo.

Agora, vou te ensinar o que fazer com base nas duas cartas que você tem e na carta revelada que a casa possui.

Seguindo as regras que passarei a seguir você já estará melhor que 80% dos jogadores de 21 espalhados pelo mundo.

3# Estratégia básica

estratégia básica

Em 1957 quatro militares americanos deram os primeiros passos na criação de uma estratégia básica que pudesse maximizar as chances de ganhar dos jogadores de blackjack. Essa estratégia foi evoluindo ao longo do tempo através do uso de conceitos matemáticos até chegar ao estado atual.

Para jogar bem é necessário decorar os passos abaixo até que eles sejam totalmente automáticos (é isso mesmo, decore!). Dessa forma você estará entrando para o seleto grupo de pessoas que tendem a ganhar mais do que perder jogando 21.

Para facilitar a absorção da estratégia, vamos dividi-la em 3 situações:

  1. Você recebeu apenas cartas de valor fixo (não recebeu Ás);
  2. Entre as duas cartas que você recebeu, há um Ás; e
  3. Você recebeu 2 cartas de mesmo valor (pares).

Partindo dessas 3 situações você irá observar a carta do croupie e seguir as decisões abaixo:

Mãos de valor fixo:

  1. Se a soma das suas cartas for inferior a 8 (3 + 5, por exemplo), sempre peça outra carta.
  2. Se sua soma for um 9 e a casa tiver de 3 a 6 na carta aberta, dobre sua aposta. Caso o croupie tenha qualquer outra carta exceto as citadas (Ás, 2, 7, 8, 9 e 10), peça outra carta.
  3. Se você tiver 10 e a casa tiver de 2 a 9, dobre sua aposta. Caso o croupie tenha um Ás ou 10, peça outra carta.
  4. Se você tiver 11 e a casa qualquer outra carta que não seja um Ás, dobre sua aposta. Caso o croupie tenha um Ás, peça outra carta.
  5. Se você tiver 12 e a casa de 4 a 6, pare (a chance da casa passar de 21 nesse caso é muito grande). Caso o croupie tenha qualquer outra carta, peça mais uma carta.
  6. Se você tiver de 13 a 16 na soma das cartas, e a casa tiver de 4 a 6 na carta aberta, pare (você tem uma boa chance de estourar se pedir outras cartas). Caso o croupie tenha Ás, 10, 9, 8, 7, 2 ou 3 peça outra carta (sua chance de perder para o croupie é grande, por isso é melhor arriscar do que parar).
  7. Se você tem de 17 a 21, pare.

Vale lembrar que nos casos em que está previsto dobrar é preciso apostar mais dinheiro e você ganhará mais uma carta. Caso não tenha condições de dobrar, apenas peça outra carta.

Quando me refiro a carta de valor 10, lembre-se que além do próprio 10 ainda temos Rei, Dama e Valete com este mesmo valor.

Repare que grande parte da estratégia gira em torno da estatística de que de cada 4 cartas mais de uma será 10, tendo isso em mente as decisões a serem seguidas se mostram totalmente lógicas, fazendo você aumentar a aposta quando sua chance de ganhar está alta.

Fique Atualizado!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente nossas novas publicações!

Mãos com Ás:

  1. Caso você tenha um Ás/2 ou Ás/3: dobre a aposta se a casa tiver ou 5 ou 6, caso contrário, apenas peça outra carta.
  2. Caso você tenha um Ás/4 ou Ás/5: dobre a aposta se a casa tiver de 4 a 6, caso contrário, apenas peça outra carta.
  3. Caso você tenha um Ás/6: dobre a aposta se a casa tiver de 3 a 6, caso contrário, apenas peça outra carta.
  4. Caso você tenha um Ás/7: pare caso o croupie tenha um 2, 7 ou 8; dobre a aposta se a casa tiver de 3 a 6; caso o croupie tenha de 9 a Ás, apenas peça outra carta.
  5. Caso você tenha um Ás/8 ou Ás/9: sempre pare.
  6. Caso você tenha um Ás/10: parabéns! Você fez blackjack e receberá 1,5 vezes o valor da sua aposta.

Jogue as mãos com Ás com as regras acima, caso você estoure os 21 pontos, seu Ás passa a valer 1, e você pode aplicar as regras para mãos fixas.

Você pode estar sentindo falta da explicação para a mão Ás/Ás, ela será feita a seguir, na parte do artigo que trata dos pares.

Mãos com pares:

Lembre-se que sair com duas cartas de mesmo valor lhe dão a chance de dividir seu jogo (o termo em inglês é “split”), o que faz com que você tenha que apostar novamente. Veja a seguir o que fazer em cada caso:

  1. Se você tiver um par de Ases: sempre divida (duas boas chances de fazer blackjack).
  2. Se você tiver um par de 2 ou 3: divida se a casa tiver de 2 a 7, caso contrário, peça outra carta.
  3. Se você tiver um par de 4: divida se a casa tiver de 4 a 6, caso contrário, peça outra carta.
  4. Se você tiver um par de 5: não divida, use a regra da mão engessada para quando tiver 10 pontos.
  5. Se você tiver um par de 6: não divida (pior mão possível para dividir), use a regra da mão engessada para quando tiver 12 pontos.
  6. Se você tiver um par de 7: divida se a casa tiver de 4 a 7, caso contrário, peça outra carta.
  7. Se você tiver um par de 8: sempre divida contra 4 a 7, caso contrário, peça outra carta.
  8. Se você tiver um par de 9: divida se a casa tiver de 2 a 6, caso contrário, pare.
  9. Se você tiver um par de 10 (ou cartas que vale 10): sempre pare.

Depois de seguir as instruções acima de acordo com cada par, use a regra das mãos fixas para as divisões que forem feitas, dobrando, pedindo mais cartas ou parando de acordo com as cartas que saírem e a carta que o croupie possui.

Caso não possa apostar mais dinheiro para realizar o split, jogue com a regra para mão fixa.

Agora que você sabe como agir de acordo com cada cenário mostrado no jogo de 21 é hora de treinar até que todos os movimentos se tornem  automáticos. Compre 4 baralhos e treine algumas horas por semana usando feijões ou amendoins como fichas.

Outra maneira simples e prática é usar sites de jogos para treinar, digitando 21 ou blackjack no Google você irá encontrar uma infinidade de sites como este (link) onde é possível praticar de graça.

Depois que tiver passado por essa fase com louvor, e não é preciso ter pressa, é hora de ir para o segundo estágio!

4# Contando cartas

contando cartas

Chegamos à prometida “cereja do bolo”!

Antes de tudo, vale ressaltar que contar cartas não é contra lei e nem trapaça. Os cassinos simplesmente não curtem contadores de cartas porque os mesmo tem uma chance assustadoramente alta de ganhar dinheiro jogando 21.

Para não contar com a antipatia da casa, não mostre que está contando cartas, pois certamente será convidado a se retirar do cassino (eles podem fazer isso, são um estabelecimento privado e têm poder de escolha sobre quem pode ou não jogar). Quanto a ameaças de morte, apanhar no porão e outras coisas afins… isso só acontece em filmes.

Aviso dado, hora de aprender a contar cartas usando o mesmo método do filme Quebrando a Banca.

O método é simples, mas é necessário ter atenção. Tudo gira em torno de aumentar as apostas no momento em que a probabilidade do croupie dar cartas altas é maior.

Cartas altas favorecem os jogadores, porque os mesmo possuem a escolha de parar com menos de 17 pontos, enquanto o croupie pede mais cartas até chegar a 17, mesmo quando tem pontuações de 14, 15 ou 16 pontos.

Para contar cartas você deve ter em mente que as cartas passam a ter outro valor, com o objetivo de facilitar a contagem:

  • Cartas altas (valor 10 e Ás) valem -1.
  • Cartas baixas (2, 3, 4, 5 e 6) valem +1.
  • Cartas neutras (7, 8 e 9) valem 0.

Alguns contadores excluem o 6 das cartas baixa e o Ás das altas. Essas pequenas variações não irão alterar a eficácia do método.

Somando estas pontuações sempre que as cartas são viradas você vai perceber que ao longo das rodadas, devido ao embaralhamento das cartas feito antes do início do jogo, vão haver momentos em que serão viradas muito mais cartas baixas e neutras do que cartas altas. Nestas ocasiões, principalmente se o bolo de cartas está no final, você terá as estatísticas a seu favor e poderá aumentar as apostas.

Dê uma olhada nos exemplos abaixo para ter uma idéia:

Ex: Você tem 13 pontos e a casa tem 8. Segundo a estratégia básica (tópico 6# das mãos fixas) você deve pedir outra carta. Entretanto, a contagem das cartas está alta, em +16 (16 cartas baixas foram viradas a mais que as cartas altas, o que indica que teremos várias cartas altas saindo em breve), e restam somente dois baralhos dos oito usados pela casa.

Com isso em mente, você resolve não pedir mais uma carta, porque sabe que vai estourar. Dessa maneira você não estourou os 21, e pode dar sorte do croupie estourar, caso uma carta baixa seja virada antes do 10 que está por vir.

Ex 2: Após essa mão a contagem continua em mais +16, sendo que o baralho fica cada vez menor. Você resolve então aumentar sua aposta, devido a alta probabilidade de virem cartas altas. O croupie então vira duas cartas para você, um par de cincos, sendo que ele tem um oito na carta aberta. Seguindo a estratégia básica você estará tranquilo para dobrar sua aposta,mesmo que ela já tenha sido inicialmente alta, pois sabe que sua chance de fazer 20 pontos é grande, e que provavelmente a casa ficará nos 18 pontos.

Supondo que a outra carta do croupie seja um 3, 4, 5, 6 ou 7, o mesmo terá de pedir outra carta, mesmo com uma contagem alta mostrando que um 10 está por vir, o que provocará o estouro dos 21 pontos e a vitória dos jogadores.

Como citei nos exemplos, a contagem de cartas é mais eficaz no final dos baralhos, pois uma contagem alta no começo do bolo não indica de fato que as próximas cartas serão altas (podem vir diversas cartas neutras e baixas antes das altas chegarem, porque ainda temos muitas cartas no baralho).

Esse conceito é chamado permeabilidade, e significa que quanto menor a pilha de cartas dentro do sapato (estrutura de onde o croupie puxa as cartas) melhor será o funcionamento da contagem de cartas.

Filme Quebrando a Banca

quebrando-a-banca

No filme Quebrando a Banca, os estudantes do MIT usavam o sistema de contagem acima com um detalhe a mais para maximizar seus ganhos. Havia sempre um estudante nas mesas contando cartas e fazendo apenas a aposta mínima, o chamado rastreador. Quando a contagem ficava alta, o rastreador sinalizava para outro estudante que tinha a tarefa de entrar na mesa apostando alto.

Para mostrar em quanto estava a contagem, o rastreador falava uma frase com uma palavra especial, a qual já havia sido atribuída um valor anteriormente (ex: pato= +12, presente= +13, congelando= +14 etc).

Dessa maneira o estudante que iria apostar alto podia saber imediatamente em quanto a contagem estava e apostar alto durante o período em que as estatísticas estivessem a seu favor.

Tudo isso sem que os cassinos suspeitassem que os dois se conhecessem.

Agora que você já sabe como contar cartas, deve praticar muito. Lembre-se que no cassino você não estará sozinho, muita gente vai estar ao seu redor, fazendo barulho, interagindo com você, os funcionários estarão te olhando, portanto, é necessário treinar.

Conclusão

Relembrando os principais tópicos passados, vimos:

1# Funcionamento dos jogos de azar

2# Regras do blackjack

3# Estratégia básica

4# Contando cartas

Não espere absorver tudo que foi dito aqui do dia para a noite. Será necessário voltar, ler e reler os trechos da estratégia básica e treinar muito a contagem de cartas para que saia no automático.

Por experiência própria, sugiro que tente usar o método pela primeira vez em cassinos de cruzeiros. Por terem apostas menores, ambientes mais tranqüilos e funcionários menos intimidadores, os cassinos de cruzeiros são bons locais para iniciar os ganhos com blackjack.

Em cassinos virtuais essa estratégia funciona com ressalvas, uma vez que muitos sites usam baralhos infinitos. Com baralhos assim fica impossível saber quantos cartas altas ainda estão por vir e contar cartas não adiantará muito.

Espero que tenha gostado do artigo.

Caso tenha restado alguma dúvida, fique a vontade para escrever abaixo nos comentários do artigo. Prometo responder o mais rápido possível.

Um grande abraço e até a próxima.

Agora quero saber a sua opinião.

Gostou do artigo? Pensa de maneira diferente? Exponha suas ideias deixando um comentário.

Fique informado! Cadastre seu email no Você MAI$ Rico e receba novidades, artigos e dicas imperdíveis para alcançar a liberdade financeira (grátis)!

Obrigado.

  • Muito obrigado, Tales!

    Respondendo as perguntas:
    1. Você pode sair quando quiser.
    2. Não sei, mas acredito que só te peçam para sair, uma vez que são uma empresa podem proibir sua entrada e participação.
    3. Não é ilegal, mas como já disse acima os cassinos são empresas privadas e tem o direito de escolher quem pode ou não participar de suas atividades.

    Abraço!!

  • Tales Reis Alves

    Bruno, primeiramente parabens. Esse seu site é fantastico! Em segundo lugar, tenho tres duvidas. 1°: Eu posso sair do jogo quando eu quiser? Antes mesmo do maço de baralho terminar? 2°: Se o cassino suspeitar de estar contando cartas e pedir para me retirar, eles ficam com as fichas ou as fichas que eu consegui naquele jogo já são minhas? 3°: É oficialmente ilegal contar as cartas?
    Muito obrigado. Abs!

  • Leonardo Sánchez

    Meu velho, não dá pra ganhar contando cartas nem fazendo essas jogadas manjadas. Se quiser ganhar mesmo me dá um toque 😉

  • Bom dia, Juan.

    É normal isso, eles usam esse limitador para impedir a contagem de cartas em profundidade… acontece em todos os cassinos.

  • Juan Camara

    Ola Bruno,

    Estava jogando o blackjack no sportingbet. La eles tem o live cassino onde eles filmam pessoas de verdade como dealears, porem notei que eles não usam todas as cartas dos 8 baralhos, eles trocam o sapato mais ou menos na metade desses 8. Em um cassino real isso acontece tbm ou eles distribuem as cartas elas acabarem?

  • Douglas Chaves

    Entendi, eu treino tbm num app chamado blackjackist, ele é bem fiável, plataforma perfeita e como é dinheiro fictício passa originalidade. E na casa Vera e John há uma mesa ao vivo multi jogadores com mínimo de 2BRL, o sapato parece ser automático, estranho, preto e totalmente fechado. A dealer distribui somente pra um jogador de modo a perfazer toda jogada possível e por último para ela, numa outra parte aparece a sua escolha. Conhece esse?

  • E aí, Douglas.

    Acho que jogando pela internet a chance de dar certo no longo prazo é pequena…. porque a maioria dos sites são viciados e programados para gerar sequências altamente improváveis para evitar jogadores com essa estratégia. No entanto, em cassinos idôneos pode sem uma boa… não sei se a ponto de ser possível viver disso, mas seria um dinheiro a mais.

  • Douglas Chaves

    Olá Bruno! Já utilizei todas essas citadas. Me diz o que vc acha da seguinte estratégia: utilizar o modo de dobra, começando sempre com 1 ou 2 BRL ou US, nunca dobrar nem dividir por mais tentador que pareça não fazer, (exceto com um raro par de A), podendo mesclar com outras técnicas. Fiz hj e deu certo, tô pensando em continuar e ganhar de 20 a 30 US por dia acha que seria viável? Viver de BJ de casino live com mínimo de 2 US/BRL?

  • Edu Gyn

    Obrigado.

  • Boa noite, Edu.

    O problema é o baralho infinito que inviabiliza a contagem, se o baralho for real e tiver fim, não vejo problemas.

    Abraço e boa sorte!

  • Edu Gyn

    Olá, Bruno
    Excelente artigo!! Vi que vc não recomenda casinos online por causa do baralho infinito(que atrapalha a contagem), porém alguns tem o LIVE, no qual observei que aparentemente não tem o baralho infinito(tem a moça na Cam e o baralho real)!!! Neste caso seria recomendável jogar ou somente presencial mesmo???
    Obrigado!

  • No longo prazo, não.

  • Gabriela de Oliveira

    Bom saber que jogar online não é uma boa opção rs 😉

  • Muito obrigado, Gabriela!

    As casas online usam o baralho infinito, e por isso não dá pra usar a contagem de cartas. Logo, a tendência no longo prazo sempre será perder.
    Os cassinos reais são bem melhores. Lá você pode ganhar se treinar a contagem e memorizar em casa.

    Sempre que viajo para algum lugar com cassinos eu ganho dinheiro dessa maneira.

  • Gabriela de Oliveira

    Que bom ^^, seu artigo é muito legal. E com relação a partidas online? Quais as vantagens e desvantagens entre jogar online e num cassino?

  • Boa noite, Gabriela.

    Sua dúvida é normal e bem simples de ser respondida.
    Você pode parar em qualquer momento, em qualquer situação. Não a obrigatoriedade de jogar várias rodadas nem nada disso, e ao sair não é preciso pagar nada ao croupie, independente de ter ganho ou perdido dinheiro.

    Respondi sua pergunta?

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Gabriela de Oliveira

    Sou muito nova nessa onda de jogos de carta. Queria saber se, por exemplo, quando estou num cassino, faço uma aposta no blackjack, quando eu posso parar? Posso parar assim que eu ganhar a primeira ou perder? E se eu resolver sair do jogo a qualquer momento, tenho que pagar alguma coisa ao crupiê? Sei que parece uma questão boba, mas nunca fui num cassino e gostaria de saber as coisas mais simples…

  • Olá, Fábio.

    Muito obrigado pelos parabéns! O site está aí para ajudar mesmo.

    Você foi muito sábio com a percepção de que o dinheiro iria ser todo devolvido para a casa em algum momento, e também com a decisão de formar patrimônio para viver antes dos 30. Parabéns por isso!!

    Sendo bem direto, não aconselho cassinos virtuais. Só uso as estratégias do Blackjack em cassinos reais quando viajo. Normalmente jogo para pagar a viagem e parte das próximas.

    Viver de Blackjack? Até acredito que é possível, mas não pela internet. Os cassinos reais é que são o canal, mas tem que estar dominando a contagem de cartas para ganhar dinheiro de verdade.

    Espero ter ajudado!
    Abraço e muito sucesso para você também!

  • Fábio Dias

    Olá,Bruno! Primeiramente Parabéns pelo site,auxilia bastante as pessoas!
    Tenho uma dúvida: Tenho apenas 18 anos e tenho a mesma vontade sua de construir uma boa renda antes dos 30 anos.Esse foi meu primeiro mês com apostas esportivas online,não obtive tanto sucesso.Porém,ganhei alguns trocados e parti para os jogos de cassino online.E hoje(depois de 2 semanas jogando na roleta)percebi que a garantia de ganhos constantes é praticamente impossível e/ou bastante difícil com a roleta.Atualmente ganhei 140 reais com a roleta,mas decidi que não compensa e em algum momento vai me tirar todos os ganhos,independentemente das estratégias usadas.Mas lendo sobre esse seu artigo do BlackJack,me intrigou bastante…E gostaria de saber se com essa estratégia eu poderei vir a ter ganhos significativos mensalmente,como você já parece estar a um tempo nesse jogo, gostaria de saber como você se beneficiou dele.Posso chegar a conseguir viver só de blackJack online? Ou servirá somente para alguns ganhos a mais? Pretendo fazer desses 140 um capital para o blackJack na Sportingbet,você aconselha? Observação: Jogo na Sportingbet(pois a betfair fica meio complicado para mim,e não tenho possibilidade de ir a um cassino real). Desde já Grato! Sucesso,amigo!!

  • Boa noite, José.

    A melhor situação para ganhar dinheiro com blackjack são os cassinos físicos. No início do ano passado paguei 3500 reais num cruzeiro all inclusive para Buenos Aires e Montivideo (valor para duas pessoas) e ganhei 2200 dólares no cassino do navio. O dólar na época estava a 3,10, logo ganhei 6820 reais… cabe ressaltar que parte desses dólares nunca foram usados ou trocados por reais, então ainda ganhei mais com a valorização da moeda. Jogar na internet é bom para treinar, mas não gera muito dinheiro por conta do infame baralho randômico, e usar martingale é perder dinheiro na certa no longo prazo (assim como fibonacci, segundo seus cálculos).

    Sobre a questão de dividir o par de 8, você está certo. Escrevi a parte literal como se fosse regra (pior mão e divida sempre). Uma mão com somatório 16 é realmente horrível, mas dividir duas cartas 8 contra Ás e 10 é suicídio. Contra 9 e 8 eu também não faria. A partir de 7 até 4 eu divido. Fazendo a contagem de cartas eu dividira contra 2 ou 3 num ambiente de cartas altas, num ambiente de cartas baixas eu não dividiria e pediria outra carta.

    Obrigado mais uma vez pelo comentário!
    Grande abraço!

  • José

    Bom dia, Bruno.

    Sobre o baralho randômico, é isso mesmo, jogando no cassino da betfair vi várias vezes o seguinte resultado estatisticamente improvável: empate 20 a 20, com 4 cartas valendo 10 e nenhuma de outro valor (ou seja, as 4 cartas distribuídas inicialmente). Uma vez que você tem um par de 10, e a carta aberta do croupie é 10, é totalmente contra a tendência esperar que a carta fechada também o seja. Então, o jogador para (outro movimento evidentemente seria pedir para perder) e, na maioria das vezes, contrariando a tendência, empata.

    Outro dia falamos sobre os 3 blackjacks da betfair. Descobri um quarto, não na aba “casino”, mas em “arcade”. Joguei um pouquinho nessa versão e tive uma sensação de que o croupie parecia um pouco menos “sortudo” que o da aba “casino”. Para confirmar se essa sensação era real ou pura coincidência de um momento bom, teria que fazer vários jogos, mas aí complicou um pouco porque no arcade a aposta mínima é 2, e como estava com pouco dinheiro disponível, não tive coragem de jogar muito nessa versão. Mas no pouquinho que joguei, passei de 51 a 60 do início ao fim da sessão, se não me falha a memória.

    Sobre aquele papo de Martingale, Fibonacci e similares, fiz algumas simulações em Excel e, surpreendentemente, o Fibonacci me pareceu até mais perigoso. Porque no Martingale, apesar de todo o perigo que se corre de perder muitas mãos seguidas até destruir o patrimônio, pelo menos com uma única vitória se volta ao início da sequência, enquanto no Fibonacci, depois de afundar um pouco na sequência, o jogador fica passeando perigosamente entre valores altos, pois a volta aos valores baixos é gradativa. Concluo que você tem razão ao ter pé atrás com estratégias de aumento de aposta quando perde, e acrescento: aumento de apostas com base em resultado de mão anterior (sem contar o caso dos cassinos físicos, onde a contagem é nas mãos anteriores), é problemático pois inviabiliza a estratégia de aumentar pela estratégia básica (dobrar ou dividir). Ora, o aumento pela estratégia básica é mais produtivo, pois é feito quando o jogador constata as situações onde a probabilidade de vitória é maior.

    Também percebi uma coisa sobre a divisão de par de 8. Em vez de dividir sempre, conforme a estratégia básica, prefiro não dividir quando a casa tem ás. E tenho minhas dúvidas sobre dividir quando o croupie tem 10. Motivo: melhor perder 1 que perder 2. Então, tenho feito assim quando tenho par de 8: se a casa tem 10, verifico a tendência e sigo um pouco o “feeling”; se a casa tem ás, não divido e peço carta; se a casa tiver qualquer outra carta, divido.

  • Boa noite, José.

    Eu divido as duas cartas 7 contra o 7 do croupie porque tenho 14 no todo, e se não dividir praticamente já perdi, porque minha chance de estourar é grande para pedir outra carta e as chance dele são maiores, dividindo eu posso aumentar minhas chances de pelo menos sair no 0 x 0 (ganho uma e perco a outra), tendo em vista que o resultado mais provável para o croupie é acabar com 17. Já contra dois 2 ou 3 é difícil decidir se é melhor pedir ou parar, porque são cartas que podem estourar mais fácil em momentos de cartas altas e podem não estourar em momentos de cartas baixas. Dividir nesse caso é mais arriscado, acredite, um 2 ou 3 não estouram com tanta frequência quanto cartas de 4 a 6. Dividir, estatisticamente, não é o que a regra manda.
    Como já te disse não fiz todos os cálculo estatísticos, mas essa estratégia é copiada de um livro escrito por estatísticos, por isso busco empregá-la da maneira que eles explicam, fugindo apenas quando a contagem “manda” fazer outra coisa.

    A ideia de tendência é boa, e até cheguei a testar em cassinos online… funcionou com relativo sucesso. Digo relativo porque não achei prudente aumentar as apostas nos momentos de tendência de carta alta, logo não pude testar a tendência por completo.
    Apenas te aconselho o cuidado, uma vez que o baralho dos cassinos online é randômico e feito justamente para evitar tendências ou contagens. Dou esse último recado mais para quem ler estes comentários, uma vez que você já se manifestou dizendo que acha difícil usar a tendência das mãos anteriores durante o jogo.

    Abraço e até a próxima, José!

  • José

    Bom dia, Bruno.

    Que bom que meu pitaco serviu para um pequeno upgrade na estratégia! Pequeno pois, como você bem disse, 2 ou 3 contra 14 é uma situação em que a probabilidade de ganhar ou perder muda pouco, em função de pedir outra carta ou parar.

    Mas, sem a contagem (estratégia para cassino virtual), eu continuo na dúvida sobre não dividir o par de 7 contra 2 ou 3. Veja a regra número 4 do seu comentário anterior: parece que quando a casa tem 7 ela está melhor do que quando tem 2 ou 3. No entanto, casa com 7 e jogador com par de 7, recomenda-se dividir, resultando em duas mãos de 7 contra 7. Ora, tendo eu 7 (situação após divisão), prefiro enfrentar a casa com 2 ou 3 do que a mesma com 7. Então, se divido quando a casa tem 7, tenho a impressão de que haveria ainda mais motivo para dividir quando ela tiver 2 ou 3.

    Se bem que, assim como pedir carta ou não, parece que dividir ou não nessa situação também vai ter pequeno impacto sobre as probabilidades. Então nos cassinos físicos, seria interessante usar a contagem para decidir.

    Sobre a contagem em cassino virtual, peguei um costume de seguir um pouco uma metodologia muito comum entre jogadores de loteria: tentar avaliar a tendência. Não se pode provar que tendência funciona, mas nem tampouco que não funciona. Mas a experiência mostra que a grande maioria dos resultados de loteria de 6 números (como mega ou dupla sena) apresenta de 1 a 3 números “quentes”, de 1 a 3 “frios” ou “atrasados”, e de 2 a 4 intermediários. Seguir essa lógica não vai evidentemente garantir vitória, mas desconsiderá-la totalmente é indício de que o cidadão está com vontade de perder.

    Ora, se contar atraso nos números de loteria é uma estratégia que pode ajudar a melhorar um pouquinho a tendência, dá para contar atraso nas cartas altas num cassino virtual. Assim, se eu olho para a mesa virtual e não vejo, entre as 3 cartas expostas (ou 4, ou 5, caso eu já tenha pedido uma ou mais), nenhuma de valor 10, não dá a nítida impressão de uma tendência, um pouco maior do que se houvesse vários 10 na mesa, da próxima ser 10? Então, se eu estiver com 12 por exemplo, se tirar 10 eu perco, então eu costumo levar em conta a tendência para decidir se peço outra carta ou paro. Lógico, olho primeiro a carta do croupie, que é matemática comprovada, e só depois a mera tendência. Mesma coisa se eu tiver 17 e o croupie 10 ou ás (onde a coisa tá feia), compensa ou não aceitar o risco de 70% de estourar? Ok, a probabilidade é 70%, mas a tendência pode ser um pouco melhor.

    No cassino virtual, essa tendência penso eu que pode TALVEZ funcionar analisando somente a mão atual. As cartas de mãos anteriores parece-me muito difícil que tenham alguma influência sobre a tendência da mão atual.

  • Muito bem observado sobre as regras!

    O correto a fazer nesse caso é não dividir (2 cartas 7 contra um 2 ou 3).
    Pedir outra carta ou não é complicado. A estratégia sobre a qual eu escrevi este artigo manda pedir (vou corrigir a contradição) mas não pedir e parar também pode ser interessante. Esta é mas uma das situações onde eu faço o que a contagem mandar: se for hora das cartas altas, eu paro, se for hora das cartas baixas é melhor pedir.

    O correto sem a contagem seria:

    1. um 14 contra um 2 ou 3: peça carta
    2. Par de 7 contra um 2 ou 3: não divida e peça carta
    3. 14 contra: 4, 5 ou 6: pare
    4. 14 contra: Ás, 10, 9, 8 ,7: peça carta.

    Quanto aos blackjacks da betfair é isso mesmo.Concordo com você!

    Abraço!

  • Boa noite, José.

    Martingale como eu respondi em comentários anteriores é furada, te faz perder a banca toda em um pulo. Essa de usar Fibonacci eu nunca vi, a primeira vista parece até interessante mas são necessários alguns cálculos probabilísticos mais apurados para dar minha opinião final. Na sua proposta você usa a probabilidade de ganhar em 50% das vezes para rentabilizar seu método, no entanto, isso pode não ocorrer. Na verdade os jogos de azar sempre nos oferecem uma chance maior de perder do que de ganhar. é só lembrar do exemplo que dei da roleta.

    No blackjack podemos inverter essa lógica em alguns momentos, e por isso eu gosto desse jogo!

    Como falei o seu método de Fibonacci pareceu interessante, mas mantenho ( e aconselho que você faça o mesmo) sempre um pé atrás com métodos que vão nos levando a aumentar as apostas.

    Obrigado pela participação, José.

    Abraço!

  • José

    Boa tarde, Rafael e Bruno.

    Andei lendo sobre essa técnica Martingale, e concluí que ela é análoga a uma espécie de “loteria invertida”. Enquanto nas loterias normais o jogador paga uma pequena importância por uma probabilidade pequeníssima de ganhar um prêmio imenso; jogando pelo sistema Martingale, ao contrário, arrisca-se a perder, com baixíssima probabilidade, um grande valor, em troca de certamente ganhar uma graninha devagar e sempre. A probabilidade de perder tudo será tanto menor quanto maior for o capital a partir do qual o cara começa a jogar, ou melhor, a relação entre o capital inicial e o valor da aposta mínima. Exemplo: aposta mínima de 1, capital inicial de 1023. O cara vai zerar tudo caso jogue pelo Martingale e perca 10 vezes seguidas. Claro, sob a condição de que ele não pare antes que a vaca vá pro brejo definitivamente :). Isso é bem fácil de simular no Excel.

    Lendo sobre isso, veio-me a ideia de uma outra técnica possível. Considere a sequência de Fibonacci: 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13… onde cada número corresponde à soma dos dois últimos. Poderíamos adotar a seguinte regra: joga aposta mínima (se for 1 é mais fácil), se perder aumenta a aposta para o valor seguinte na sequência. Quando ganhar, vai recuperar o perdido nas últimas 2 apostas, então você muda o valor recuando duas posições na sequência. Perdeu, avança uma posição; ganhou, recua duas. Jogou 8 e ganhou, joga 3. Jogou 3 e perdeu, joga 5, assim por diante. Pois quando você ganhou 8, recuperou o perdido quando jogara 5 e 3, mas não atingiu o objetivo daquela hora em que jogou 3, que era de recuperar o perdido em 2 e 1, então você joga 3 novamente para outra chance de atingir essa recuperação. Ora, se tivermos aproximadamente 50% de ganhos, a tendência é, no médio/longo prazo, dar dois passos para frente para cada passo atrás. Enquanto se vai e vem pela sequência, o jogador está tentando recuperar prejuízo (quando não o faz, joga a aposta mínima), onde chegar ao valor da aposta mínima significa completar esse objetivo, enquanto avançar aos altos valores da sequência representa o risco de se aproximar do fundo do poço.

    Tal como Martingale, Fibonacci também requer um valor inicial alto, em comparação com o valor da aposta mínima, para reduzir o risco de grandes perdas, porém não tão alto quanto o requerido para viabilizar o Martingale com um mínimo de responsabilidade (ou seja, a mínima probabilidade de perder tudo).

    Uma possibilidade: imagine um jogador com capital inicial de pouco mais de 1.000 vezes o valor da aposta mínima, e resolve jogar Martingale. Quando ele estiver com cerca de 500, se prosseguir no Martingale, está bem perto de ficar sem nada. Não seria um bom momento para trocar Martingale por Fibonacci?

    Ou ao contrário: por Fibonacci, você avança MUITO lentamente seu capital de 300 a 1.000, por exemplo. Chegando a uns 1.050, sente-se confortável em mudar a estratégia para Martingale e, daí por diante, enquanto não ocorrer nenhuma enorme sequência de derrotas seguidas, passa a avançar o capital bem mais rapidamente (devagar e sempre, na verdade, já que na prática vai avançar o valor da aposta mínima a cada vitória).

    Importante: quando estiver jogando por uma dessas sequências, e, de acordo com o esquema, estiver apostando mais que o valor mínimo, melhor não dobrar aposta nem dividir as cartas, pois uma derrota em tais condições poderia gerar uma perda difícil de ser reparada!

  • José

    Boa noite, Bruno.

    Desculpe por te encher o saco outra vez com esse papo sobre blackjack, mas… Dá uma conferida na regra número 6 para mão com par. Se o jogador tiver um par de 7 e a casa tiver 2 ou 3, essa regra diz para pedir outra carta. Mas isso equivale a pedir carta tendo 14 pontos, e a casa 2 ou 3, o que contradiz a regra n. 6 para mão fixa.

    Bom, supondo estatisticamente correta a regra para mão fixa nesses casos, que seria melhor fazer em caso de par de 7, e a casa com 2 ou 3? Parar (regra fixa), ou dividir?

    Intuitivamente (portanto posso estar errado), tenho a impressão de que seria bom dividir, pois quem tem um 7 e não sabe ainda qual será a segunda carta está melhor do que quem começa com 2 ou 3, então parece que seria mais interessante enfrentar a casa duas vezes nessa situação, do que fazer uma parada com menos de 17 (14, no caso) e ficar na dependência do “estouro” da pontuação do croupie. Que acha da ideia?

    Ah, descobri hoje uma coisa interessante sobre os blackjacks na betfair. Eles têm 3 versões do jogo: blackjack (simplesmente blackjack), blackjack pro, e blackjack live. Particularmente não gostei do live por ele exigir um apelido, então nunca entrei nele, e desconfio que seja aquele que você conhece, com prazo breve para decidir as apostas. (O nome dá ideia de algo ao vivo, com participação simultânea de outras pessoas, enquanto nos outros cada jogador joga independentemente, como se fosse só você e a casa). Quanto aos outros dois, o “só” blackjack joga sempre no modo seguro quando croupie tem ás, mas sem cobrar por isso; enquanto o pró oferece o seguro pago. Então parece que, entre o pró e o simples, o simples parece mais vantajoso ao jogador. Sobre o live, não sei opinar pois não joguei nele.

  • Bela história, José… e belo lucro também.

    Esses bônus de casas de apostas são ótimos, dá para ganhar um bom dinheiro com eles de maneira rápida e simples.

    A betfair é um site muito grande, em alguns jogos de futebol chegam a movimentar mais de 80 milhões de dólares em apostas (eu já vi vários jogos com cifras assim) sendo que 4,5% dos lucros das apostas são do site. Não vejo benefício para eles em roubar os clientes no blackjack, acho que seria um arranhão a credibilidade muito grande caso fosse descoberto.

    O blackjack realmente tem dessas coisas, as vezes perdemos muitas mãos seguidas, para depois não parar de ganhar. Por isso que a contagem é um trunfo, podemos ter a ciência da aproximação da hora dos ganhos (cartas altas) e aumentar as apostas nesse momento, aumentando os lucros!

    Fico feliz por você!

    Abração.

  • José

    Bom dia, Bruno, tudo bem?

    Cara, já ganhei uma graninha na betfair! Depositei US$ 51 via Neteller, depois de algum tempo jogando, puxei de volta os 51 e sobrou 53 lá no saldo do cassino para jogar mais… :). Valeu mesmo pelas dicas! Mesmo que futuramente perca tudo esses 53, na pior das hipóteses o resultado líquido fica zerado. Aliás, por falar na Neteller, como não gosto de cartão de crédito (nem de IOF) e não mexo com bitcoins, fiz uma transferência via BB. A cotação é aquele absurdo do Astropay que você bem conhece, mas pelo menos a transferência é rápida e a taxa cai um pouco, de 5% para 2,95%, se não me falha a memória, em comparação com o boleto.

    Mas deixa te contar um pouco da experiência com a betfair. Primeiro tomei um susto porque achei que não conseguiria mais resgatar o dinheiro enviado ao cassino. Depois fui entender (a linguagem deles não ajuda, tanto que uma pessoa comentou lá no artigo sobre futebol que pensou que estivesse perdendo, quando na verdade estava ganhando) que o que acontecia era que eu aceitei uma oferta de bônus, onde se ganhava em bônus o mesmo valor investido (no caso, investi 51, fiquei com 102 para jogar), mas tinha que jogar 45 vezes esse valor para ele voltar a ser livre para ser resgatado. Depois de jogar “trocentas” vezes até liberar o valor, estava com 104, aí decidi resgatar exatamente quanto tinha investido.

    Mas sobre a questão do “baralho honesto”, rapaz… No início dos meus jogos tomei outro susto, perdi a conta de quantas mãos seguidas perdi antes de ganhar pela primeira vez. Dá a nítida impressão de estar sendo roubado. Mas aí, depois de sair com 102, perder um absurdo, consegui chegar a 150, depois baixou para pouco mais de 50, depois consegui subir de novo para 104, foi quando liberou o saque, como te disse acima. Depois de tantos altos e baixos, parece que o negócio é honesto sim, embora nem sempre assim pareça.

    Ah, e parece que a betfair joga sempre no modo seguro (insurance), mas sem cobrar por isso. Parece que eles têm 2 caminhos para chegar no jogo blackjack, devem ser versões diferentes do mesmo jogo. O que eu usei é aquele que não pede para a pessoa se atribuir um apelido, o qual parece mais simples que o outro.

  • Grato pelo comentário, José.
    Respondendo as perguntas:

    1º – Esse insurance é um seguro. Você paga e se a casa virar Blackjack você mantém sua aposta e só perde o dinheiro do seguro.Segundo os dados estatísticos não vale a pena pagar. É só mais uma maneira de aumentar a rentabilidade do cassino.

    2º – Não posso te responder essa pergunta com 100% de certeza. Na betfair eu creio que seja mesmo honesto, assim como em outras casas de apostas grandes. m,as com certeza devem existir muitas casas que roubam por aí. Por isso eu prefiro o jogo presencial, é mais fácil de controlar e saber que não há roubo.

    3º – Na betfair há tempo contado para decidir a aposta. O mesmo não é livre. Não recordo do tempo ao certo, mas era um tempo curto, porém suficiente para pensar no caso de quem tem as regras memorizadas na cabeça.

    Abraço, José!

  • Bom dia, José.

    Concordo com Tião Carreiro e Pardinho, nessa situação a coisa fica realmente feia.
    O Ás deixa a casa muito bem.

    Se é melhor pedir mais uma ao invés de parar? Sua chance estatística é de uma carta menor que 5 saia é de 30%. Dependendo do momento do jogo e da contagem (contagem revelando que a chance vir cartas baixas está boa) poderia ser feito sim.

    Como disse anteriormente, a contagem é quem manda.
    Abraço!

  • José

    Aliás, uma outra me veio à mente agora: pela instrução n. 4 para mão fixa, podemos inferir que a melhor situação da casa é quando ela tem ás. Situação na qual o croupie dificilmente estoura, então o mais provável é que ele finalize com 17, 18, 19, 20 ou 21 pontos. Entre essas 5 situações mais prováveis, somente uma, 17 pontos, permitiria o empate caso essa seja a pontuação do jogador.

    Conclusão: jogador com 17 e croupie com ás, podemos concluir com Tião Carreiro e Pardinho, a coisa tá feia, a coisa tá preta…

    Não seria melhor, nessa situação específica, pedir outra carta e, se sair ás, 2, 3 ou 4, melhorar a situação? Claro que a chance de estourar é imensa, mas me parece que perder é quase certo, caso se pare.

    Que acha?

    Grande abraço.

  • José

    Boa tarde, Bruno. Primeiro, obrigado por responder.

    Quando a casa sai com ás ou 10, eu escrevi ali o jogador de 13 a 16 porque estava focado só na instrução n. 6 (12 é outra instrução), mas você tem razão, deve pedir carta estando com 12 a 16.

    Venho treinando num daqueles sites onde se joga gratuitamente, e percebi que, quando o jogador tem de 15 a 18, muito provavelmente vai perder. As instruções, claro, ajudam a reduzir tanto quanto possível essa probabilidade que, todavia, muito baixa não vai ficar. Analisando os resultados que obtive no treino, me parece que com 13 a 15 convém mesmo pedir quando a casa está com 7 a 9 (casa não tão bem quanto 10 a ás, nem tão ruim quanto 2 a 6). Agora, quando o jogador está com 16, a coisa tá feia mesmo, parece-me que, se a casa tiver 10 ou ás, fica um pouco menos ruim pedindo carta; se a casa tiver de 7 a 9, aí a diferença entre pedir ou não parece bem pequena, então fico com as estatísticas: peçamos carta nessa situação.

    Até com 17 dá vontade de pedir, mas a razão indica que a chance de estourar é tão imensa que é melhor se conformar com a hipótese do croupie estourar ou empatar com 17.

    Vc tem razão quando diz que o filé mignon é a contagem. Mas a estratégia básica é tudo o que temos quando se joga online, o que me parece bem interessante primeiro pela oportunidade mais abundante, não precisa esperar as férias nem investir na viagem; e segundo por não ter a concentração perturbada pelo falatório alheio. Se me permite, gostaria de lhe fazer umas perguntas que me vieram à mente treinando:

    Primeiro, o mais importante: o que é aquele “insurance” que o croupie oferece quando ele tem ás? Em que circunstâncias convém aceitar essa proposta? Isso é particularidade do joguinho online que joguei, ou outros (como betfair e os cassinos físicos) também fazem essa proposta?

    Segundo: temos fundamento para acreditar que o “baralho” virtual de empresas como a betfair é honesto, ou seja, as cartas saem de modo realmente aleatório? Em outras palavras, não tem nenhum pesinho a mais nas cartas que seriam mais favoráveis à casa?

    Terceiro (isso eu poderia verificar, mas gostaria de saber antes de jogar valendo dinheiro, para me preparar): na betfair por exemplo, o jogador tem tempo a vontade para decidir suas jogadas, e valores de apostas? No site em que joguei gratuitamente, o tempo era livre para decidir tudo (jogadas, aceitar ou não o insurance), menos o valor de aposta: se demorasse para agir após o término de uma mão, o jogo automaticamente iniciava nova mão valendo alguns poucos centavos. E na betfair, como é isso?

    Obrigadão pela atenção!

  • Boa noite, José.

    Se a casa sai com Ás ou 10 você sempre deve pedir outra carta até ficar no mínimo com 17. Você citou fazer isso com pontuações de 13 a 16, é melhor fazer com pontuações de 12 a 16 (com menos de 11, independente da situação, você sempre pede carta). Suas probabilidades estão corretas, mas você só calculou levando em conta a próxima carta. Sua chance de perder na verdade é bem maior nessa situação, dificilmente a casa estoura quando sai com um Ás.

    Lembre-se que a estatística que mais importa é que a cada 3/4 cartas uma terá um valor igual a 10. Como citei no artigo de 2 a 6 a casa está mal (2 nem tanto se as cartas estiverem vindo baixas), por isso compensa parar. Agora se a casa sai com 7 até 9 na carta virada e você está com 15 ou 16 e não está contando cartas, vale a pena pedir sim. Fazendo cálculos estatísticos que levem em consideração todas as análises combinatórias, a estatística manda pedir, principalmente se você souber que a probabilidade de saírem cartas baixas está alta naquele momento. Caso a probabilidade de sair cartas altas seja bem maior, você praticamente já perdeu a mão (a casa faria de 17 a 19), por isso também vale a pena arriscar.

    Estou me eximindo dos cálculos propriamente ditos porque os mesmo não são tão simples, mas como afirmei no artigo, estas regras já foram testadas e comprovadas como confiáveis (livro sobre o assunto e eu usei em um Cruzeiro e agora em Punta Cana), e o filet mignon é a contagem… na realidade é ela que vai te dar os melhores subsídios para decidir pedir ou não.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • José

    Bruno, fiz alguns cálculos probabilísticos e acho que talvez possamos melhorar um pouco a estratégia n. 6 para mão fixa. Veja bem, se a casa tiver ás ou 10, tem uma chance, respectivamente, de 62% ou 54% de fechar 17 ou mais com só mais uma carta. Nesses 2 casos, penso que deveríamos pedir outra carta se tivermos de 13 a 16 pontos.

    Mas quando o jogador tem 16 ou 15, se pedir outra carta tem as mesmas probabilidades (62 ou 54%, respectivamente) de estourar. Então acho que deveríamos parar na seguinte situação: tenho 15 ou 16, e a casa tem de 2 a 9 na carta exposta. Pois se a casa tiver de 2 a 9, tem menos de 50% de probabilidade de fechar só com a carta que está virada (46% com 9, 38% com 8, e 31% com 7, enquanto de 2 a 6 a casa está mal, como seu artigo demonstra), então nessa situação, acho que não compensa assumir um risco > 50% de estourar.

    Ainda não joguei blackjack nenhuma vez, só fiz esses cálculos com base no seu artigo, tentando entender tanto quanto possível para só depois pensar em jogar. E aí, que acha dessa ideia?

    Grande abraço.

  • Boa noite, José.

    O baralho da betfair é infinito, por isso a contagem te dará uma maior noção do que fazer, mas não funciona da mesma maneira que nos cassinos reais com baralhos finitos.

  • Boa noite, Rafael.

    No blackjack eu só aumento a aposta no momento em que as cartas altas começam a sair, tirando esse momento mantenho minha aposta no mínimo, dobrando mediante as regras que mostrei no artigo (quando tenho 11 por exemplo).
    Vários jogadores aumentam as apostas quando perdem, com o objetivo de recuperar tudo que já perderam e ainda ter lucro com a próxima vitória, após isso voltam a apostar pouco… o único problema dessa estratégia, conhecida como Martingale, é que você pode não ter dinheiro suficiente para continuar aumentando se perder por muitas rodadas seguidas… e esse tipo de coisa acontece.
    Vi pessoas perderem muito dinheiro na roleta apostando em uma determinada cor que não saiu por 16 rodadas, da mesma maneira já vi jogadores de blackjack que perderam 10 mãos seguidas e viram toda sua banca indo embora.
    Eu já usei esse artifício no começo, mas hoje não uso mais por conta do que falei acima. Voc~e pode passar a semana toda ganhando, e de repente, no período de alguns minutos, perder tudo que tem.

    Espero ter ajudado.
    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • José

    Bruno, o baralho da Betfair é daquele tipo infinito, onde a contagem não funciona?

  • Rafael Azzi

    Boa tarde Bruno.

    Algumas estratégias dizem para aumentarmos algumas unidades quando perdemos a mão e diminuir quando ganhamos até voltar à aposta inicial. Você utiliza isso também?

  • Boa tarde, Miguel.

    No último cruzeiro que fiz, em janeiro de 2015, paguei 3.150 reais para passar 7 dias a bordo com tudo liberado junto com minha esposa, os destinos eram Santos, Montivideo e Buenos Aires. Neste cruzeiro nós 2.200 dólares no cassino.

    Como o dólar valia 3 reais, na época meu ganho foi de 6600 reais, valor mais 2 vezes maior do que o que gastei no cruzeiro.

    Como você pode ver fazer o cruzeiro valeu MUITO a pena porque o mesmo nos deu um ganho de 200% e ainda foi uma experiência de viagem única.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • miguel carona

    pois mas para fazer um cruzeiro ha q pagar eheh obriugado pela ajuda!

  • Boa tarde, Miguel.

    Obrigado pelo elogio!

    Não conhecia essas máquinas, mas pelo que você descreveu não há o que fazer para contar cartas com os baralhos sendo continuamente embaralhados, não tem como o método funcionar. A única solução é procurar cassinos que não usem esse aparato. Os cassinos que já frequentei (Argentina e cassinos de navios cruzeiros) não utilizavam e lá não teria problemas para contar cartas.

    Espero ter ajudado.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • miguel carona

    boas! sou portugues e começei agora a jogar blackjack e leio muitos artigos e achei o seu bom. mas ha uma coisa que me chateia, eu ja fui ao casino apenas observar o jogo em tempo real mas eles usam aquelas máquinas para baralhar cartas continuamente, isto é, assim que uma mão acaba as cartas sao baralhadas (sao conhecidas como MSC nos estados unidos). isso impede a contagem de cartas, o quwe posso fazer quanto a isso? agradecia uma opinião 🙂

  • Boa noite, Alexsandro.

    Gosto muito da Betfair (www.betfair.com.br)
    Há outros sites nos quais já joguei (apostaonline, sportingbet etc), mas prefiro a Betfair a todos esses.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Alexsandro Rolim

    Uma dúvida, qual cassino online você recomentaria investir no Blackjack?

  • Obrigado pelo elogio, Fernando Leal!

    Fico realmente grato pela iniciativa na divulgação.
    Se os jogadores seguirem a estratégia acima, saíram com mais dinheiro do que quando chegaram.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAI$ Rico!

  • Muito bom!!!
    Vou indicar para alguns amigos que amam jogar BlackJack!!!
    Parabéns pelo artigo!!!!

  • Olá, Caio.

    Muito obrigado pelo elogio!

    Boa sorte ao usar as táticas passadas, comigo deram muito certo!

    Abraço e continue acompanhando o Você MAI$ Rico!

  • Caio F

    Muito topo Bruno!!

    Parabéns pelo aprendizado, na próxima vez que for na Argentina eu vou usar no Cassino!

    Abraço.