Tesouro Direto: ganhe mais de 1% ao mês durante a crise!

Tempo de leitura: 7 minutos

A crise econômica chegou e, acredite, veio para ficar.

Embora o governo e alguns poucos otimistas que enxergam o mundo com óculos cor de rosa digam que o cenário irá melhorar rapidamente, a verdade é que você vai ter que se acostumar com as características abaixo:

  • Inflação alta (atualmente na casa dos 9% e subindo);
  • Juros altos (taxa Selic em 14,25%);
  • Dólar cada vez mais caro e
  • Diminuição da atividade econômica.

Embora a crise tenha inúmeros efeitos negativos, sobretudo para quem está endividado, desempregado ou precisando pegar dinheiro emprestado, ela tem um lado positivo para quem tem dinheiro para investir.

Nesta última quarta feira, o COPOM (Comitê de Política Monetária) aprovou por unanimidade um novo aumento de 0,5% em nossa taxa Selic (taxa básica de juros da economia brasileira) colocando-a no patamar de 14,25% ao ano.

Com isso o Brasil se torna o país sério (melhor usar o termo “de economia expressiva”) com a maior taxa de juros do mundo!

Péssimo para quem pega dinheiro emprestado, bom para quem tem dinheiro para investir.

Ganhando mais de 1% ao mês sem correr riscos

ser rico

Já falei sobre o Tesouro Direto em muitos artigos do site, por sempre ter sido uma boa opção de investimento, todavia, agora que nossa economia não vai bem, acredito que das opções conservadoras o Tesouro Direto tenha se tornado a mais atraente e, por isso, mereça um artigo só dele.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa de compra de títulos públicos por pessoas físicas com a finalidade de financiar iniciativas governamentais.

Trocando em miúdos, comprando títulos públicos você estará emprestando dinheiro para o Brasil e ganhando juros com isso.

Meu dinheiro vai estar seguro?

dinheiro seguro

De todos os investimentos existentes no país este é, sem sombra de dúvidas, o mais seguro.  Seu dinheiro não estará atrelado a promessa de pagamento de uma empresa qualquer ou banco privado e sim pela promessa de pagamento da sétima maior economia do mundo!

Tudo bem, o Brasil está em crise. Mas mesmo assim você deve concordar que ter a promessa de pagamento de um país que tem total autonomia para imprimir mais papel moeda sempre que precisar é muito melhor do que a palavra de uma instituição privada.

Está proteção vale para todo o montante investido, por mais alto que seja. Coisa que não acontece com a poupança, CDB, LCI e LCA, que tem uma garantia dada pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) de apenas R$ 250 mil por CPF.

Por estes motivos a medalha de ouro em termos de segurança na hora de investir vai para o Tesouro Direto.

Fique Atualizado!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente nossas novas publicações!

Qual a rentabilidade dos títulos?

Como o próprio título do artigo já diz, atualmente (dia 02 de agosto de 2015), todas as modalidades de títulos do Tesouro Direto apresentam rentabilidade acima de 1% ao mês.

A rentabilidade específica de cada título depende de alguns fatores, como indexador do título, data de vencimento do mesmo e se possui ou não cupons semestrais.

Entrando na página do Tesouro Direto (clique aqui) é possível ter acesso a lista com todos os títulos que estão à venda e suas respectivas informações, inclusive a rentabilidade.

Qual a quantia mínima para começar a investir?

pequenas quantias

O Tesouro Direto se destaca neste ponto, pois é possível começar a investir com apenas R$ 30. Para isso você precisa comprar pelo menos 0,01 de um título público (1% do título em questão).

A liquidez do investimento é diária, o que significa que você pode comprar e vender títulos diariamente, similar ao que acontece no investimentos em ações.

Quanto a limitação de valores, fique tranquilo. São aceitas aplicações de até R$ 1.000.000,00 por mês.

Quais os tipos de títulos existentes?

Podemos classificar os títulos em 3 tipos básicos:

  • Os Indexados ao IPCA
  • Os Indexados à taxa Selic
  • Os Prefixados

Indexados ao IPCA – pagam uma taxa de juros fixa (em torno de 6,5%) somada ao índice inflacionário apurado no IPCA (atualmente o IPCA está na casa dos 9%). São especialmente interessantes para as condições econômicas atuais.

Indexados à taxa Selic – pagam a rentabilidade prevista pela taxa Selic, variando conforme a mesma suba ou desça (taxa Selic em 14,25%).

Prefixados – pagam a taxa prevista no momento da compra do título. Atualmente, são os de rendimento mais baixo e menos indicados para compra, devido a grande probabilidade de contínuo crescimento da inflação e da taxa Selic.

Nos títulos Indexados ao IPCA e nos Prefixados há opção de escolher por pagamentos de cupons de juros semestrais ou receber os juros apenas no vencimento do título.

Os juros semestrais são apenas uma antecipação do pagamento da rentabilidade dos títulos. Essa opção é mais popular entre pessoas que precisam dos recursos para quitar compromissos financeiros.

Caso você pretenda reinvestir o valor ganho com os cupons, é mais sábio escolher a opção sem juros semestrais, uma vez que há pagamento de Imposto de Renda da tabela regressiva nos cupons, o que prejudica sua rentabilidade.

Optando pela opção que não tem cupons, mais popular atualmente, a rentabilidade é acumulada e paga somente no vencimento do título.

Caso precise de mais orientação para saber qual o melhor título para os seus objetivos, o site do Tesouro Direto possui um Orientador Financeiro para te ajudar nessa missão. Clique aqui para ter acesso.

Como faço para investir?

Antes de mais nada, você precisa ter CPF e conta corrente em qualquer banco para começar a investir.

A partir daí, você deverá escolher uma instituição financeira, que pode ser um banco ou uma corretora de valores, também chamada de agente de custódia, para intermediar suas transações com o Tesouro Direto.

No link que passo adiante estão listadas todas as instituições habilitadas a operar com títulos públicos federais. Também são apresentadas as taxas de administração cobradas por elas (algumas cobram taxas e outras não). Confira aqui.

Entre em contato com a instituição financeira escolhida e solicite seu cadastramento. Você deverá fornecer a documentação necessária para que essa instituição abra uma conta em seu nome para operar com o Tesouro Direto.

Cadastro feito, você já pode começar a operar através do site do Tesouro Direto, usando uma senha passada pela instituição financeira escolhida como intermediadora.

Alguns bancos e corretoras integraram seus sites ao do Tesouro Direto, o que lhe confere a oportunidade de comprar e vender títulos públicos pelo site da instituição com os mesmo preços e prazos do site do Tesouro Direto.

Conclusão

Neste artigo expliquei como ganhar mais de 1% ao mês (sem correr riscos!) utilizando o programa de compra de títulos públicos conhecido como Tesouro Direto.

Visando ser o mais didático possível, direcionei o artigo para a explicação das dúvidas mais frequentes, tais como:

# O que é o Tesouro Direto?

# Meu dinheiro vai estar seguro?

# Qual a rentabilidade dos títulos?

# Qual a quantia mínima para começar a investir?

# Quais os tipos de títulos existentes?

# Como faço para investir?

Caso você queira mais informações além das passadas aqui, ou esteja interessado em elevar seus investimentos há um patamar inteiramente novo, totalmente profissional, conheça o Curso Tesouro Direto Carteira Rica, elaborado pelo Eduardinho, Auditor Fiscal da Receita Federal e uma das maiores autoridades sobre o assunto.

Foi deste curso que retirei  a maior parte das informações que usei neste artigo. Vale a pena conferir (ótimo investimento!).

Espero que tenha gostado do artigo.

Grande abraço e até o próximo!

O que você acha? Gostou do artigo? Exponha sua opinião deixando um comentário abaixo.

Fique informado! Cadastre seu email no Você MAI$ Rico e receba novidades, artigos e dicas imperdíveis para alcançar a liberdade financeira (grátis)!

  • Boa tarde, José.

    Desculpe a demora em responder. Acredito que todos vão render muito bem, devido a expectativa de queda das taxas de juros os indexados e prefixados se tornam excelentes opções. No entanto, como as expectativas para a inflação no futuro são de que a mesma chegue ao centro da meta de 4,5%, fruto do excelente trabalho da nova equipe econômica do governo, acredito que os pré-fixados tendam a se destacar mais, sobretudo para quem planeja vender os títulos antes do prazo de vencimento.
    Quem quiser travar uma excelente taxa de retorno para os próximos anos pode optar pelos indexados. Enfim… são ótimas escolhas, qual é melhor depende dos objetivos de cada pessoa.
    Não entenda isso como uma recomendação de investimento. É só minha opinião pessoal mesmo.
    Abraço!

  • José

    Uma correção: onde escrevi “objetivo de curto prazo”, leia-se “curto a médio prazo”. Vai que os juros não caiam já na reunião de outubro, neste caso é provável que caiam no médio prazo 🙂

  • José

    Boa tarde, Bruno!

    Hoje, 5/10/2016, parece que tudo indica que, na próxima reunião do Copom, a Selic deve provavelmente cair. Ou, se não cair, ao menos permanecer como está.

    Então, penso que cabe um alerta para um desses RAROS momentos em que, paradoxalmente, temos a oportunidade de investir num título longo com objetivo de curto prazo. E quanto mais longo o prazo até o vencimento, maior deverá ser o aumento do preço de mercado quando as taxas forem reduzidas.

    A minha dúvida fica: no caso de uma redução da taxa de juros, qual preço deverá ser reajustar mais: o do IPCA 2035 sem juros semestrais (por ser sem juros, NTN-B Principal), ou o IPCA 2050 com juros (por ser de vencimento mais longo)? Parece-me que estes devem render mais, como consequência da queda dos juros, do que os prefixados, já que se não me engano os mais longos são para 2023 (sem juros) e 2027 (com juros), portanto bem mais curtos que os indexados.

    Na dúvida, fiz alguns investimentos dos meus troquinhos diversificando entre esses títulos, incluí até mesmo o prefixado 2023, mas com mais confiança no IPCA 2050 com juros e no IPCA 2035 sem juros.

    E você, Bruno, que acha?

  • malanar11

    http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-instituicoes-financeiras-habilitadas

    O site acima apresenta todas as instituições mais suas respectivas taxas. É o site oficial do tesouro direto.

  • Estou a disposição, Ricardo.

    Abraço!

  • Edson Tognini

    Respondeu tudo sim, muito obrigado pela atenção!

  • Boa tarde, Edson.

    Respondendo suas dúvidas:

    1. O Valor atual se refere ao valor da sua aplicação nos dias de hoje caso voc~e queria vendê-lo antecipadamente.

    2. Para saber o rendimento não há uma aba específica, mas é só fazer a conta dividindo o Valor atual pelo Valor aplicado. Desse resultado você subtrai 1 (ex: 1,06 -1) e multiplica por 100. Isso já vai te dar o valor percentual do rendimento desde o momento da compra até agora (6% no exemplo acima).

    3. As taxas caíram sim, mas a sua rentabilidade vai ser a contratada no dia da compra.

    Espero ter respondido tudo.

    Abraço e boa sorte nos investimentos!

  • Edson Tognini

    Boa tarde Bruno,

    Muito obrigado pela ajuda, fiz o investimento sem medo há algum tempo, mas surgiram algumas dúvidas que me confundem um pouco:
    Ao lado de “Valor Aplicado” tem o “Valor Atual”, esse último é referente a quanto está valendo o título caso eu o venda ou à quanto este já rendeu? Caso seja quanto está valendo no momento, tem alguma forma de saber o rendimento em tempo real ou apenas na data de vencimento ou venda do título?
    Pelo que entendi, a rentabilidade dos títulos IPCA nas últimas semanas caiu bastante, meu rendimento será variável desse jeito ou será calculado em cima da rentabilidade do dia da compra?

    Mais uma vez parabéns pelo ótimo trabalho e variedade do site, desde já agradeço!

  • Lucas Kosaka

    Boa tarde!

    Poderia atualizar o link das instituições habilitadas a operar com títulos públicos federais?

    Obrigado,
    Lucas

  • Bom dia, Daniele.

    Bom “rever” você, rs.

    Para trocar de corretora é muito simples, basta abrir uma conta na nova corretora e entrar em contato com a mesma para solicitar a troca da custódia dos seus investimentos. Cabe lembrar que nada te impede de manter uma conta nas duas corretoras. Conheço muitos investidores que fazem isso (usam uma para Tesouro Direto e outra para ações, por exemplo).

    A easyinvest é uma corretora grande e barata, mas nunca trabalhei com ela para saber se funciona bem.

    Espero ter ajudado!

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Daniele Fernandes

    Olá, olha eu por aqui estudando seu blog novamente hehehehe. Como faço para trocar de corretora? Saberia me dizer se a Easynvest é de confiança? Abraços!

  • Boa noite, Edson.

    Primeiramente, muito obrigado pelo elogio. Fico feliz em ajudar!

    Quanto a sua insegurança… é normal, já que é uma atividade nova trabalhar com uma corretora. Pode ficar tranquilo quanto ao envio do dinheiro, a Rico é sólida e segura, basta fazer o TED e esperar o dinheiro cair na sua conta para comprar os títulos. Quando eu faço pela manhã já posso usar o dinheiro na hora do almoço, é bem rápido.
    Deixo claro aqui que não ganho nada para fazer propaganda da Rico, apenas gosto das funcionalidades, dos preços baixos que eles oferecem e das opções de investimento.

    Espero ter ajudado!

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Edson Tognini

    Boa tarde Bruno, sou leitor do blog já há algum tempo e admiro bastante seu trabalho, parabéns! Recentemente abri uma conta na Rico depois de pesquisar muitas corretoras com a intenção de comprar títulos IPCA e Selic. Mesmo depois de ler bastante sobre o tema, ainda assim fico meio inseguro de fazer o TED de um valor grande, mesmo pq abrir a conta foi bastante fácil. É realmente apenas realizar um TED e comprar o número de títulos desejado, sem mais complicações? Desde já agradeço!

  • Muito obrigado pelas gentis palavras e por compartilhar o site, Ricardo.

    Desejo tudo em dobro para você e sua família.

    Abraço e sucesso na caminhada rumo a liberdade financeira!

  • Ricardo

    Muito Obrigado mais uma vez, você não precisa agradecer os elogios. Nós leitores é que devemos gratidão por vc compartilhar conhecimento gratuito no País do “tudo custa”. Quero desejar o melhor de Deus pra você e sua família, que seu projetos e sonhos sejam realizados e que o mal nunca chegue na tua casa. Com certeza não só vou continuar acompanhando o Site como vou compartilhar também. Abraço

  • Boa noite, Ricardo.

    Antes de responder suas perguntas quero agradecer pelo elogio… é muito saber que estou ajudando com o Você MAIS Rico! Suas palavras significam muito para mim, muito obrigado!

  • Ricardo

    Bom dia Bruno, parabéns pelas postagens, inspiram esperança de sermos um povo mais ciente do que se pode fazer com o dinheiro. Gastando menos em besteiras e investindo em um futuro menos dependente de governos corruptos e mais de nossa capacidade de gerar frutos. Com certeza vou ensinar meus filhos que existem outros caminhos além dos lombos queimados de sol e calos nas mãos. Mas como sou leigo no assunto investimentos, peço tua ajuda para começar. Onde é o melhor investimento, Tesouro Direto ? quanto devo investir para começar e ter um bom retorno? Como monitorar meu investimento? como faço pra investir no TD? Desde já agradeço.

  • Pingback: ()

  • Pingback: ()

  • Boa noite, Patrícia.

    A melhor corretora para investir no Tesouro Diretora é a que cobrar menos taxas. Procure uma que não cobre por este serviço. Na situação atual, acho o indexado ao IPCA mais atraente. Mas mesmo assim dividiria minhas aplicações entre posfixado e indexado ao IPCA.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAI$ Rico!

  • Boa noite, Caio.

    Inicialmente, obrigado pelo elogio!

    Quanto à sua pergunta, a resposta depende de alguns fatores. No geral as LCI/LCA rendem mais em curto prazo (menos de 2 anos) por serem isentas de imposto de renda. O tesouro se destaca no longo prazo, na liquidez e na maior segurança, embora as LCI/LCA também sejam muito seguras.

    Esse é um panorama geral. Tudo pode mudar dependendo do rendimento das LCI/LCA.

    Espero ter ajudado!

    Abraço e continue acompanhando o Você MAI$ Rico!

  • Patricia Machado

    Boa noite, Bruno.

    Qual corretora você acha melhor para investir no Tesouro Direto?
    e entre os títulos, vc falou bem do pósfixado e do indexado a inflação. Qual é o melhor pra quem pretende deixar o dinheiro investido uns 5 anos?

    Parabéns pelo site!

  • Caio F

    Oi, Bruno.

    Muito esclarecedor! Parabéns pelo artigo.

    Uma dúvida, o que vale mais a pena, tesouro direto ou LCI?