5 milionários que surgiram do nada e o que podemos aprender com eles

Tempo de leitura: 7 minutos

Estatísticas mostram que 80% dos milionários são ricos de 1º geração.

Isso significa dizer que de cada 100 milionários, apenas 20 são oriundos de famílias ricas, os outros 80 fizeram sua fortuna do nada, muitos deles vindos de condições extremamente desfavoráveis.

Neste artigo vou mostrar como essas pessoas fizeram para construir patrimônios milionários a partir do nada e qual o ponto em comum em todas as histórias de superação e sucesso.

Veja abaixo 5 exemplos de milionários que surgiram do nada.

Chris Gardner (já foi sem teto)

 milionário 1

Provavelmente você já deve visto o filme “À Procura da Felicidade”, no qual Will Smith faz o papel de Chris Gardner, um vendedor de máquinas de raios-X, com sérias dificuldades financeiras, que batalha por uma vida melhor para sua família.

Embora o filme possa ter exagerado em alguns pontos, a essência da história é verdadeira.

Chris Gardner nasceu em 1954, em uma família problemática. Seu pai já havia abandonado sua mãe antes do seu nascimento, e o padrasto não era nenhum exemplo de conduta, protagonizando cenas de violência envolvendo Chris, sua mãe e seus irmãos.

Na juventude Gardner queria ser médico, mas, embora fosse inteligente e dedicado, não contava com os recursos financeiros para cursar a faculdade. Chris foi obrigado a abandonar seu sonho e se tornou vendedor de equipamentos médicos, algo que, como vimos no filme, não deu muito certo.

Insatisfeito com sua profissão, que não lhe garantia renda suficiente para sustentar sua esposa e filho pequeno. Acabou se deparando com um programa de trainees de uma corretora de valores, o que representava uma chance real de melhorar de vida.

Durante o programa foi abandonado pela esposa, perdeu sua casa e chegou a dormir no banheiro de um metrô com seu filho (cena mais emocionante do filme) devido à falta de vagas nos albergues da cidade.

Superando todos os desafios, Chris conseguiu o emprego e iniciou uma carreira de sucesso no mercado mobiliário, que culminou na abertura de sua própria corretora, a Gardner Rich.

Hoje Chris Gardner tem um patrimônio que gira em torno de US$ 600 milhões e garante que encontrou sua felicidade.

Ralph Lauren (de vendedor de gravatas a bilionário)

 

A vida do bilionário do mundo da moda, dono de uma fortuna de mais de US$ 7 bilhões, nem sempre foi repleta de luxo.

Ralph Lifshitz, seu nome de batismo, era filho de um pintor de paredes e morador do bairro do Bronx, em Nova York.

De origem humilde, Ralph desde cedo ajudava em casa com o dinheiro que conseguia vendendo gravatas aos colegas de turma da escola judaica onde estudava.

Devido ao seu sobrenome pouco comum, Lifshitz (em inglês lembra um palavrão), Ralph era vítimas de brincadeiras constantes por parte de outras crianças.

Quando adolescente, após anos de perseguição, o irmão mais velho de Ralph, Jerry, resolveu trocar o nome de família por um sobrenome a prova de bullying.

Nascia assim Ralph Lauren, o homem que virou sinônimo de moda.

Chegando a idade adulta, Ralph abandonou os estudos e foi servir ao Exército. Após o serviço militar obrigatório, arranjou emprego de balconista em uma loja de roupas e depois, novamente, se tornou vendedor de gravatas.

Ralph Lauren não precisou de muito tempo para perceber que podia inovar e ganhar dinheiro com moda.

Em 1967, lança sua própria linha de gravatas e no ano seguinte uma coleção completa de moda masculina, ambos com grande sucesso. Em 1972, inventa a famosa camisa polo, se torna milionário e entra para a história do ramo no qual escolheu trabalhar.

Leonardo Del Vecchio (cresceu em um orfanato)

 milionário 3

Leonardo Del Vecchio, bilionário fundador da marca Luxottica, não teve uma infância fácil.

Pouco depois de perder o pai, Del Vecchio e mais 4 irmãos foram encaminhados para um orfanato porque sua mãe não tinha condições financeiras para alimentá-los.

Na adolescência arranjou emprego em uma fábrica de moldes de autopeças e armações de óculos.

Com 23 anos, após conhecer bem o processo de fabricação das armações de óculos. Leonardo Del Velcchio decidiu arriscar e investir tudo o que tinha (pouco dinheiro) para abrir sua própria loja de fabricação de armações, a já citada Luxottica.

A iniciativa empreendedora de Del Vecchio foi um sucesso. A Luxottica se tornou a maior empresa do mundo em seu ramo, é dona de marcas como Ray-Ban e Oakley e gerou para Leonardo Del Vecchio um patrimônio de US$ 15 bilhões.

Marco Franzato (de boia-fria a empresário)

 milionário 4

O milionário Marco Franzato veio de origem humilde, ainda na infância tinha como principal ocupação ser boia-fria, cuidando da colheita do café em lavouras espalhadas pelo interior do Paraná ao lado do pai.

Por conta da forte carga de trabalho, estudar se tornava objetivo secundário. Franzato com 16 anos havia completado apenas o ensino fundamental.

As coisas começaram a mudar quando uma forte geada destruiu as lavouras da região, obrigando a família a se mudar para Cianorte em busca de emprego.

Chegando na cidade, o padrinho de Franzato lhe arranjou uma vaga como ajudante em um escritório de contabilidade. Oportunidade que o jovem não deixou escapar.

Anos mais tarde, já casado e após ter voltado aos estudos, decidiu que era hora de empreender.

Confiando na perícia adquirida como administrador, no bom gosto da esposa e na habilidade de modelista da cunhada, juntou alguns sócios e abriu a própria confecção.

O projeto deu certo e cresceu até se tornar o Grupo Morena Rosa, dono de quatro marcas de roupas, com um faturamento na média dos R$ 200 milhões por ano.

Sérgio Amoroso (passou fome)

 milionário 5

Filho de um agricultor, o milionário Sérgio Amoroso começou a trabalhar cedo ajudando o pai na pequena propriedade rural que possuíam.

Por conta de dificuldades para manter o sítio, a família se muda para Birigui e Sérgio, com 11 anos, arranja seu primeiro emprego como assistente de almoxarifado em uma fábrica de calçados.

Chegando a idade adulta, Amoroso junta suas economias e resolve se mudar para São Paulo em busca de novas oportunidades.

Já em São Paulo, dividi apartamento com alguns conhecidos enquanto procura trabalho. Após oito meses seu dinheiro acaba e Sérgio Amoroso passa fome por vários dias, até que finalmente consegue um emprego numa fábrica de papelão.

Dedicado e trabalhador, Sérgio cresce dentro da hierarquia da empresa, mas vê a mesma ir à falência devido à crise que atingiu o Brasil no inicio da década de 80.

Mesmo diante de um cenário pessimista, o futuro milionário não se abala e, junto com alguns sócios, aluga um galpão para montar sua própria fábrica.

Nasceu assim o Grupo Orsa, um dos maiores produtores de papel e celulose do Brasil, com um faturamento de R$ 840 milhões.

Conclusão

Prometi no começo do artigo que diria qual o ponto em comum que podemos observar em todos esses casos de sucesso (acredito que você já tenha notado).

Na verdade, há dois pontos em comum.

O primeiro é de que todos começaram a vida em situações difíceis, e o segundo é o fato de terem superado os obstáculos e chegado até a riqueza abrindo seu próprio negócio.

Acredito que esse seja o recado mais importante do artigo.

Você quer ficar rico? Pense seriamente em abrir seu próprio negócio.

Caso queira saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura dos artigos:

10 franquias baratas de retorno rápido

8 motivos para abrir seu próprio negócio na internet

Agora eu quero saber a sua opinião. O que você acha desse assunto? Gostou do artigo? Tem dúvidas? Exponha suas ideias deixando um comentário abaixo.

Fique informado! Cadastre seu email no Você MAI$ Rico e receba novidades, artigos e dicas imperdíveis para alcançar a liberdade financeira (grátis)!

  • Concordo com você, Carlos!

    Obrigado pelo comentário.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAI$ Rico!

  • Sempre é bom ter bons exemplos para nos espelharmos!! Acredito que tudo é uma questão de mentalidade e acreditar no sucesso, ter objetivos bem claros e persistir atrás deles!!!

  • Obrigado pelo elogio, Gil.

    Fico feliz que tenha se juntado aos assinantes do Você MAI$ Rico, garanto que não irá se arrepender.

    Grande abraço!

  • Gil

    Impressionantes os 2 brasileiros do texto, e finalmente vi o rosto do homem que inspirou o filme do Will Smith.

    Muito lega!
    Ganhou mais um assinante na lista de email!