Como saber se sua previdência privada está valendo a pena

Tempo de leitura: 2 minutos

Com a chegada do fim de ano, ao fazer meu aporte anual na minha previdência privada PGBL, fiquei na dúvida se este investimento estaria ou não valendo a pena financeiramente. Para variar, tive que parar pra pensar e fazer as contas eu mesmo.

Como isto acabou me tomando um tempinho, decidi compartilhar minhas conclusões com vocês. Adianto que a leitura da tabela (clique na imagem da tabela para visualizar melhor), que confesso não ficou lá muito simples, não é indispensável à compreensão das principais mensagens.

Primeiro comparei o saldo do PBGL (3) com a soma dos aportes atualizados monetariamente (5) e conclui que meu PGBL “bateu” a aplicação financeira alternativa rendendo o equivalente a taxa SELIC, como uma LFT do Tesouro Direto, por exemplo.

Provavelmente devido à exposição a ativos atrelados a risco pré-fixados e inflação que subiram mais do que os pós-fixados puros entre 2006 e 2012. Este excesso de retorno, porém, vem se revertendo em 2013, com a mudança do cenário.

Entretanto, a comparação de valores brutos não é útil, pois todos nós temos que pagar impostos, não é mesmo?! Por isso, comparei o saldo da previdência privada líquido de impostos (4) com a mesma soma dos aportes corrigidos pela Selic acima, só que agora líquidos de IR (1).

Após impostos, a situação se inverte, pois mesmo com alíquota menor, na previdência privada PGBL o IR também incide sobre o principal, enquanto que na aplicação financeira alternativa, o imposto recai só sobre os lucros.

Caramba, estaria este esforço todo me fazendo perder dinheiro?

Na verdade não, pois a comparação que interessa mesmo é do mesmo saldo do PGBL líquido de impostos acima (4) com a soma dos aportes corrigidos, mas considerando a restituição de IR (2).

Ou seja, considerando que uma parte do valor do aporte não foi feita com o meu dinheiro, mas sim com recursos do governo (que ele me devolveu via restituição, exclusivamente em função do aporte do ano anterior), o PGBL rendeu belíssimos 128% da SELIC.

Ufa!!! Fiquei aliviado e tratei de aportar novos 12% de minha renda bruta tributável ao meu PGBL. Clique na  tabela para visualizar melhor.

previdência privada

Gostou do artigo? Exponha sua opinião deixando um comentário abaixo.

Fique informado! Cadastre seu email no Você MAI$ Rico e receba novidades, artigos e dicas imperdíveis para alcançar a liberdade financeira (grátis)!

Obrigado.

  • Bom dia, Mariano.

    7%??? Quase cai da cadeira quando vi esse número. Uma taxa de carregamento de 7% somada a inflação (atualmente em 10%) vai fazer com que sua previdência não renda absolutamente nada, talvez até encolha. Aplicar em NTN-B principal é muito melhor, pois seu dinheiro terá um rendimento real (acima da inflação) e as taxas são muito pequenas. Na realidade qualquer aplicação vai ser melhor do que essa previdência.

    Espero ter ajudado.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Bom dia, Marco.

    Desculpe pela demora, infelizmente só vi seu comentário agora.
    Uma previdência desse tipo, onde 40% está aplicado em ações, pode render muito ou pouco, vai depender do gestor que está tomando as decisões. Na minha opinião, se você dispõe de tempo e conhecimento para investir esse dinheiro, seria melhor tirar da previdência, mesmo perdendo dinheiro, e começar a investir por si mesmo.

    Raramente o rendimento da previdência conseguirá bater os dos títulos, ainda mais devido as altas taxas administrativas. Você sozinho, desde que se dedique um pouco, conseguirá rendimentos melhores.

    Abraço e continue acompanhando o Você MAIS Rico!

  • Mariano

    Oi Bruno, tudo bem? Eu tomei posse agora no TRE. E o poder judiciário tem a previdência privada complementar Funpresp – jud. Todo valor que você desconta do seu salário para essa previdência, o órgão (no meu caso, o TRE) coloca o mesmo valor nesta minha conta do Funpresp. ( Ex: eu coloco 50,00 e o TRE coloca 50,00 no mesmo mês na minha conta da PP) Porém a taxa de carregamento é de 7%. Você acha que vale a pena aderir a essa previdência ou é melhor tesouro direto NTN-B principal ou outro ativo a longo prazo?

  • Olá Marco,

    Difícil responder a sua pergunta, pois não sei em que tipo de ações o gestor do seu fundo aplica o dinheiro, Prtanto fica complicado saber se você está ganhando ou perdendo dinheiro. Para que você faça a análise, basta ver se o rendimento que você teria alcançado com tesouro direto é maior do que o apresentado pela previdência, lembre-se de computar a vantagem fiscal que talvez sua previdência apresente (PGBL).

    Espero ter ajudado.

    Grande abraço.

  • Marco Souza

    Tenho duas previdência em nome de minhas filhas,para pagar os estudos delas, hoje está previdência e 60% ações e 40% em renda fixa, hoje se for fazer os resgate vou está perdendo o que foi Investido
    vale apela fazer o resgate para aplicar em tesouro direto.

  • Daniel Meinberg

    Obrigado pela participação, Patrícia. Obrigado pela pronta resposta, Bruno.
    Abraços

  • Daniel Meinberg

    Obrigado pela participação, Freddy. Obrigado pela pronta resposta, Bruno.
    Abraços

  • Olá Freddy.

    No caso do VGBL, você não desfruta do benefício de poder realocar até 12% da sua renda tributável, em compensação, sofre tributado apenas nos rendimentos obtidos com sua aplicação, e não no montante investido (caso do PGBL).

    No seu caso, a previdência privada se tornou um investimento normal. Você deve comparar o rendimento líquido obtido por cada aplicação para saber qual lhe daria o melhor retorno.

    Cabe lembrar que investindo em LCI e LCA não existe imposto de renda.

    Espero ter ajudado, Freddy.
    Obrigado.

  • Freddy Beretta

    Bruno, e no caso do VGBL, com uma carteira conservadora (somente renda fixa, sem porcentagens atreladas a renda variável), o que devo levar em consideração e analisar se é um bom investimento, se está valendo a pena perante LCA ou NTN-B, por exemplo? Obrigado pela ajuda!

  • Olá novamente, Patrícia.

    Eu não sou um grande fã das previdências privadas, por conta das altas taxas envolvidas e do retorno líquido que muitas vezes não supera o de outros investimentos conservadores.

    Também nos costumo pegar dicas com os funcionários de grandes bancos (para saber mais veja o artigo 4 verdades que o seu gerente de banco nunca lhe diria)

    http://vocemaisrico.com/2014/01/17/4-verdades-que-o-seu-gerente-de-banco-jamais-lhe-dira/

    Sobre sua ação de cancelar a previdência, concordo com sua decisão. O primeiro passo é preservar nosso patrimônio, depois pensamos em ganhar dinheiro. Perder dinheiro a troco de nada é andar para trás, e como dizia Che Guevara:

    “Nem um passo para trás. Nem pra tomar impulso.”

    Continue acompanhando o Você MAI$ Rico.
    Abraço!

  • Patrícia

    Meu VGBL teve uma “rentabilidade” negativa de R$200,00 entre dezembro/2013 e janeiro/2014. Eu que já estava de olho nele, por causa das taxas de carregamento e administração, cortei o mal pela raiz. O mais incrível foi o a funcionária do banco me dar razão, dizendo “previdência não é uma boa mesmo não” ! E não soube me dizer pra onde foi meus duzentos reais. Cortei antes que ficasse pior. O único consolo: tabela progressiva que o IR incide sobre os juros ganhos e não sobre os valores que apliquei. Como rendeu pouco a taxa do IR ficou baixa!